A Batalha de Tejucupapo: o dia em que as mulheres de uma pequena vila de Pernambuco colocaram invasores holandeses pra correr

Em 1646, na pequena vila de Tejucupapo, localizada na Capitania de Pernambuco, ocorreu um fato notório que marcou a história da região. Durante o início do século XVI, embarcações holandesas invadiram regiões da América Portuguesa (posteriormente Brasil) e se estabeleceram em terras pernambucanas.

Durante a década de 1545, a população local, com apoio da coroa portuguesa, se organizou para expulsar os invasores. Após muitas batalhas, os holandeses foram expulsos, mas alguns destacamentos de soldados flamengos, alçados ao mar, em embarcações médias e tomados pela fome, passaram a andar pela costa pernambucana a fim de encontrar alimentos.

Tejucupapo foi o lugar escolhido para ser saqueado por 600 desses homens, os quais, após um estudo sobre o lugar, resolveram atacar a cidade em um domingo, pois era o dia em que a maioria dos homens ia até o Recife para comercializar farinha de trigo e caju. Eles imaginaram que com apenas mulheres no local, o saque seria fácil. Ledo engano!

Segundo a historiografia, no dia do ataque dos holandeses, algumas mulheres que colhiam frutos avistaram as embarcações holandesas logo cedo, o que permitiu avisar as outras moradoras. Foi então que Maria Camarão, Maria Quitéria, Maria Clara e Joaquina organizaram uma ação para enfrentar os invasores. Junto com os poucos homens que estavam na aldeia, crianças e uma imensa maioria de mulheres, o grupo planejou a resistência armada contra os 600 holandeses. Como armas de fogo eram raras e havia poucas espadas disponíveis, as mulheres cozinharam pimentas dedo de moça em água fervente e se esconderam entre as árvores. Enquanto homens e crianças atiravam pedras, paus e tiros nos invasores, os quais fugiam para dentro do matagal, as mulheres os esperavam com a mistura fervente. Com as panelas em mãos, jogavam as pimentas no rosto dos algozes, causando dor tão intensa que provocava desorientação, facilitando o abatimento do inimigo com facas.

No fim do dia, 300 cadáveres de holandeses estavam estirados em solo pernambucano. O resto fugiu, após observar a enrascada que entraram ao desafiar as mulheres pernambucanas

Imagem – Tereza Costa Rêgo

Referências:

www.portalabrace.org › textosPDF

Luciana de Fatima Rocha Pereira de Lyra – Heroinas de Tejucupapo … – Portal ABRACE

http://www.unicap.br/…/10/21/as-heroinas-de-tejucupapo/

https://maniadehistoria.com/mulheres-de-tejucupapo/

https://www.google.com/…/www…/invasoes-holandesas/amp/

Please follow and like us: