Racismo, socos e muito sangue: a história de Jack Johnson, o primeiro homem negro campeão mundial de boxe

Entre as 10 maiores lendas do boxe, pelo menos 7 delas são negras, mas nem sempre os homens de cor preta foram protagonistas desse importante esporte.

O boxe começa a se popularizar nos Estados Unidos em meados do século XIX, principalmente em navios da Marinha na cidade de Nova York, que recebia inúmeros imigrantes e já caminhava para se tornar uma grande metrópole.

Foi nesse período, que nasceu no Texas John Arthur Johnson, garoto pobre, filho de escravizados que sofreram o pão que o diabo amassou em um dos estados mais racistas do país. Como muitos negros sem oportunidades, em um local racista, Johnson estudou pouco e, com 8 anos, já trabalhava de estivador nas docas do porto de sua cidade natal. O garoto foi crescendo e ganhando contornos no corpo. Quando completou 16 anos, tinha um físico invejável, o que chamou a atenção de treinadores de boxe.

Na época, os negros não conseguiam casar lutas com brancos, fruto da segregação racial. Nova York e São Francisco eram umas das poucas cidades onde era possível ver lutas inter-raciais. Mas mesmo com esses percalços, Johnson passou a conseguir lutar com outros homens negros e logo se destacou por sua inteligência defensiva e preparo. O pugilista esquivava e se defendia até deixar o adversário cansado e encontrar a brecha para a sequência de socos mortais.

Em 1901, John consegue uma luta com o famoso boxeador branco da Califórnia Joe Choynski. Essa luta mudou para sempre a vida de Johnson. Derrotado pelo adversário, os dois se envolveram em uma briga após a luta e foram presos juntos, passando dois meses em cana lado a lado. Eles ser tornaram melhores amigos e Joe Choynski passou a gerenciar a carreira de John. A primeira medida foi alterar o nome do atleta de John Johnson para Jack Johnson. Com a ajuda do amigo, Jack conseguiu casar várias lutas e aumentou a sua visibilidade, colecionando um cartel com inúmeras vitórias. Com uma sequência de dez lutas sem perder, Jack se sagrou campeão entre os atletas negros, já que no período as ligas eram segregadas.

Foi se destacando lutando contra homens de sua cor e com a influência do amigo Choynski, que Jack passou a conseguir lutas com lutadores brancos de maior projeção. Os amigos usavam a questão racial para casar as lutas, apelando para o ego dos boxeadores brancos. Afinal, por que não enfrentavam negros? Seria medo.

Então, Johnson foi galgando posições, sendo humilhado e xingado pelo público e até pelos juízes ao dividir o ringue com brancos. O pugilista, porém, sabia levar pancada e dar também. Combatia o preconceito e a discriminação lutando. Os jornais chamavam Jonhson de lutador covarde e desonesto, pois seu estilo de luta, cadenciado e defensivo, não atacava tanto, mas aguardava o cansaço do adversário.

Quando Tommy Burns se sagrou campeão mundial de boxe, Johnson passou a se apresentar e a lutar em todo lugar que o campeão ia. Na turnê europeia feita por Burns, sempre que podia, Johnson o chamava de covarde e o desafiava.

Após tanta insistência, Tommy resolveu aceitar a luta, no entanto, resolveu realizá-la em Sidney, na Austrália, em 1908. A Austrália tinha um regime de segregação racial bem parecido com o dos Estados Unidos. Durante a concentração, cuspiram na água do boxeador negro, quebraram o carro que o levou até o evento e chamaram-no de macaco muitas vezes.

Johnson bateu bastante em Tommy, quase o nocauteando por diversas vezes. O juiz sempre cortava a luta antes do homem branco ser derrubado, em uma ação explícita de favorecimento. Durante o décimo quarto assalto, uma confusão na plateia fez a polícia interromper a luta e o juiz precisou dar a vitória para Johnson, pois ele havia sido muito superior ao adversário durante todo o combate.

Sagrando-se campeão, Johnson não pôde receber o título, pois no lugar onde entregavam o cinturão só podia entrar brancos.

Mordidos, os treinadores e lutadores brancos passaram a desafiar desesperadamente o pugilista campeão. Pela primeira vez, um homem precisou defender o cinturão 6 vezes em um só ano, o que dava uma luta a cada dois meses. Algo impensável até para a recuperação do atleta.

Porém, Johnson ganhou todas as lutas. E, por conta do destaque, passou a ser odiado pela população branca. Em 1910, Jack foi desafiado por James Jeffries, um famoso campeão estadunidense e mundial de boxe que já estava aposentado, entretanto, voltou a lutar apenas por questão racial. Ao The New York Times ele disse: “Eu vou entrar nessa luta apenas pelo simples propósito de provar que um homem branco é melhor do que um negro”.

O racista entrou no ringue com Jhonson, na plateia havia 22 mil pessoas, o maior público de uma luta até ali. Negros não puderam entrar. Embaixo de vaias, Johnson derruba James por duas vezes. Ele nunca havia ido ao chão na carreira. O público, vendo que o pugilista branco estava tomando uma surra, começou a pressionar para que o árbitro interrompesse o duelo. 

Jhonson venceu a luta por nocaute, se sagrou de vez como campeão e maior defensor do título mundial até ali. Mas nas ruas a derrota de Jeffries desencadeou no Estado de Nevada um distúrbio racial. Brancos protestaram, queimaram casas de negros e fizeram inúmeras barbaridades. A onda de violência se espalhou por outros estados e em mais de 50 cidades. Os brancos, naquele momento, perdiam sua supremacia no boxe.

Imagem da luta que gerou distúrbios racistas.

Após a luta, Johnson defendeu o título por mais seis vezes, até perder o cinturão em 1915, no entanto, continuou lutando até os 60 anos. O homem era indestrutível em cima dos ringues.

Ele faleceu em 1948 em um acidente de carro. Foi, porém, um dos primeiros boxeadores a entrar definitivamente para a galeria dos maiores pugilistas da história do esporte.

Referências:

http://www.ibhof.com/pages/about/inductees/oldtimer/johnsonjack.html

http://www.cyberboxingzone.com/boxing/jjohn.htm

https://boxrec.com/list_bouts.php?human_id=001187&cat=boxer&pageID=2

https://www.britannica.com/biography/Jack-Johnson

https://www.thoughtco.com/jack-johnson-inventor-4078001

Please follow and like us: