O último suspiro do Corvo: a trajetória de vida e o fim trágico de Brandon Lee

Em 1° de fevereiro de 1965, na Califórnia, nascia Brandon Bruce Lee, filho de uma lenda do cinema e das artes marciais, Bruce Lee, e de Linda Emery, professora, escritora e também instrutora de artes marciais. 

O “único chinês loiro de olhos cinzentos”, como costumava se referir Bruce Lee ao seu primeiro filho. Desde muito cedo, Brandon foi iniciado nas artes marciais e na prática do Jeet Kune Do (ou Jeet  Kun Do), sistema de combate desenvolvido/pensado por seu pai.

Bruce Lee e Brandon Lee

Aos oito anos, entretanto, Brandon perde o pai em uma morte repentina, mudando-se com a mãe e a irmã, Shannon Lee, para Los Angeles. O interesse pela dramaturgia é aflorado desde cedo, levando Brandon a estudar teatro e tornar-se ator. Ao contrário de seu pai, Brandon desejava ser reconhecido por suas habilidades dramatúrgicas e não pela prática de artes marciais propriamente.

Após alguns filmes de menor projeção, como “Massacre no Bairro Japonês” (1991) e “Rajada de Fogo” (1992), Brandon é convidado a estrelar “O Corvo”, filme que marcaria a história do cinema e levaria o ator à morte, no set de filmagem, em 31 de março de 1993.  

Brandon no set de filmagem

Baseada nos quadrinhos de James O’Barr, a história de “O Corvo” carrega uma pesada aura de morte, vingança e “justiça pelas vítimas” (palavras do próprio Brandon em sua última entrevista). O personagem de Brandon, Eric Draven, volta do mundo dos mortos, guiado por um corvo, para vingar a trágica morte de Eric e sua noiva Shelly Webster, na noite do diabo (noite que antecede o Halloween).

Em 31 de março de 1993, curiosamente na cena em que Eric é morto no filme, Brandon teria chegado com uma sacola com sangue artificial que seria usado para a gravação da cena. No ato, Eric levaria um tiro do personagem “Funboy”, interpretado por Michael Masse. Após rodada a cena, entretanto, Brandon não mais levantou do chão.

Brandon Lee

Um revólver Magnum 44, que deveria conter apenas festim, foi acionado por Michael contra o corpo de Brandon que imediatamente tombou. A equipe de filmagem demorou a perceber que havia algo errado com a cena, quando após alguns minutos, Brandon permaneceu imóvel. Quando perceberam que Brandon havia sido ferido de verdade, ele foi imediatamente socorrido e levado ao hospital, porém, após 10 horas de cirurgia, não resistiu ao ferimento.

” Dê seu tiro, Funboy!” – Cena emblemática de “O Corvo” em que Eric Draven (Brandon Lee), ressurgido dos mortos, incita “Funboy”, Michael Masse, a atirar contra ele. Obs.: Essa não é a cena onde Brandon foi ferido de morte, a cena da morte foi destruída e modificada e se passa no momento em que Eric Draven é morto por Funboy, após chegar no Loft de sua noiva e encontrá-la sendo estuprada por malfeitores.

A cena da morte gravada foi usada para esclarecimento do ocorrido, sendo destruída ao final das investigações. A conclusão policial foi de que o tiro teria sido provocado acidentalmente, devido a um projétil que teria permanecido no cano da arma, após a utilização, em cena anterior, de uma munição verdadeira. O projétil alojado no cano teria sido expulso pelo festim, no momento em que “Funboy” acionou o revólver no set, sem que o ator Michael Masse soubesse do erro.

Após a tragédia, as filmagens do filme que já estavam em fase de conclusão, foram interrompidas, havendo grande esforço por parte de Linda Emery e de Eliza Hutton (noiva de Brandon) para que o filme fosse ao ar, o que ocorreu em maio de 1994, com uma explosão de bilheteria que renderia mais de 94 milhões de dólares a Hollywood.

Brandon faleceu aos 28 anos, 17 dias antes de seu casamento com Eliza.

Em sua última entrevista, Brandon fala da grande oportunidade que representava “O Corvo” para a sua carreira e, como numa despedida, reflete sobre o destino de Eric Draven e dos ensinamentos que poderiam ser extraídos do personagem. Na entrevista, ele diz: “Por não saber quando morreremos, pensamos na vida como um inexaustivo bem. Porém tudo acontece apenas um certo número de vezes, e na verdade é um número bem pequeno. Quantas vezes mais você relembrará uma certa tarde da sua infância, uma tarde que é uma parte tão profunda de seu ser, que é impossível conceber a sua vida sem ela? Talvez mais quatro, ou cinco vezes? Talvez nem isso. Quantas vezes mais você vai assistir o nascer da lua cheia? Talvez vinte. E ainda assim, tudo parece tão ilimitado…” 

Texto: Ana Carolina Garcia

Referências:

https://pt.wikipedia.org/wiki/Brandon_Lee

http://brandonleevivian.blogspot.com/2010/01/curiosidades-de-brandon-lee_6709.html

https://pt.wikipedia.org/wiki/Jeet_kune_do

https://pt.wikipedia.org/wiki/Bruce_Lee

https://pt.wikipedia.org/wiki/Brandon_Lee#:~:text=6%20Liga%C3%A7%C3%B5es%20externas-,Biografia,perde%20o%20seu%20pai%20repentinamente.&text=Ao%20contr%C3%A1rio%20de%20seu%20pai,n%C3%A3o%20pelos%20seus%20conhecimentos%20marciais.

https://www1.folha.uol.com.br/fsp/1994/8/19/ilustrada/23.html#:~:text=Paulo%20%2D%20Brandon%20Lee%20encarnasombras%20em,’%20%2D%2019%2F8%2F1994&text=%22O%20Corvo%22%20ficou%20famoso%20por,leva%20bala%20o%20filme%20inteiro.

https://misteriosfantasticos.blogspot.com/2014/10/a-noite-do-diabo.html

https://aventurasnahistoria.uol.com.br/noticias/reportagem/morto-pelo-proprio-personagem-o-tragico-fim-de-brandon-lee-que-faleceu-em-pleno-set-de-filmagens.phtml

https://www.facebook.com/brandonleebrasil/photos/a-%C3%BAltima-frase-de-brandon-lee-por-n%C3%A3o-saber-quando-morreremos-pensamos-na-vida-c/269621936526830/

Please follow and like us: