A História da Brutal e Covarde Chacina de Vigário Geral

A Chacina de Vigário Geral, em 1993, um dos crimes mais bárbaros da história do Brasil, mostrou ao mundo a face mais terrível da violência no Rio de Janeiro quando policiais disfarçados entraram em uma comunidade e mataram 21 inocentes. O crime deles? Eram favelados.

A Chacina de Vigário Geral foi um massacre ocorrido na favela de Vigário Geral, localizada na Zona Norte da cidade do Rio de Janeiro. O ato criminoso ocorreu na madrugada do dia 29 de agosto de 1993, quando a favela foi invadida por um grupo de extermínio formado por cerca de 36 homens , encapuzados e armados, que arrombaram casas e executaram vinte e um moradores.

Segundo relatos do processo, a chacina teve sua motivação na morte de quatro policiais militares no dia 28 de agosto de 1993 na Praça Catolé do Rocha, no bairro de Vigário Geral. E os assassinos eram policiais que vestiam capuzes.

O crime foi uma das ações mais covardes vistas na história da violência caricos. Alguns fatos chocaram a opinião pública:

Nenhuma das 21 vítimas possuía passagem pela polícia. Uma das vítimas estava a caminho do trabalho, quando caiu no chão morto, a marmita que carregava se abriu. Uma família foi toda fuzilada, estavam realizando um culto dentro de casa.

Dos 51 acusados só um continua preso.

Segundo a justiça o grupo responsável pela chacina era chamado de “Cavalos Corredores” e faziam parte de um grande batalhão da PM. Alguns dissidentes desse grupo formaram as primeiras milícias do Estado.

Fotografia: Jornal o Globo/ Marcia Foletto

População observa corpos das vítimas.
Familiares e amigos observam corpo de uma das vítimas, coberta com jornais e lençóis.
Julgamento dos acusados.
Imagem de parte dos corpos das vítimas.
Fotografia da emboscada aos polícias, esse teria sido o motivo da chacina.
Crianças protestam por justiça.
Protesto com os nomes das vítimas.
Bombeiros e civis carregam vítimas.
Corpos das vítimas expostos.
Please follow and like us: