O Surgimento das Lojas de 1,99

As lojas de 1,99 foram uma febre durante o final dos anos 90 e início dos anos 2000.

Esse tipo de comércio já existia em países desenvolvidos, como os Estados Unidos, desde meados do século XX. Mas em relação ao Brasil, até o início do Plano Real, em 1994, era praticamente impossível abrir um negócio mantendo um preço fixo para a comercialização dos produtos. Visto que a inflação dos anos 80 chegava a três dígitos. Com a estabilização da economia, quando, a princípio,1 dólar passou a valer 1 real, e a inflação praticamente desapareceu, tornou-se possível abandonar as demarcações de preços diárias ou semanais que sempre ocorriam. Além da melhora significativa na economia, a China deu um salto de crescimento e aumentou exponencialmente a quantidade de exportações para o Brasil, principalmente de produtos manufaturados de baixa qualidade, esses que, consequentemente, possibilitaram a formação do grande estoque das lojas de 1,99.

A princípio, essas lojas funcionavam sem vendedores, os donos e funcionários distribuíam as mercadorias: brinquedos, pacotes de balas, doces, utensílios de cozinha; em gôndolas e prateleiras de fácil acesso. Para os clientes, o fato de ter um preço fixo trazia segurança na hora da compra, pois a pessoa ia com 10 reais e sabia que sairia dali com 5 produtos.

A ascensão desse tipo de negócio foi impulsionada pelo aumento do poder de compra dos brasileiros, fenômeno puxado pelo crescimento econômico chinês e programas de redistribuição de renda.
Os brinquedos, por exemplo, que até aquele momento eram privilégios de crianças filhas de pais com bons empregos, passaram a fazer parte da vida do pobre e da nova classe média que surgia no país.

No início dos anos 2000, quase todo bairro tinha uma lojinha de 1,99. Com um investimento de 1000 reais, se abria um negócio como esse. Os lojistas aceitavam o ganho de 25 a 30 por cento em cada produto, pois o estoque acabava rápido.

Com o passar dos anos, a desvalorização do real e a volta da inflação, o que era teto virou piso e essas lojas mudaram seus títulos para “a partir de 1,99” ou “quase tudo por 1,99”, o que permitia a venda de produtos bem acima desse preço popularmente constituído.

As lojas de 1,99 foram uma epidemia tão grande no nosso país e adentraram tão forte na nossa cultura econômica, que passamos a identificar o “99” como sinônimo de preço baixo.

Atualmente, os comércios adotam os preços, deixando “99” centavos depois da vírgula para causar a impressão de que o produto está sempre em promoção.

Referências:

https://www.folhadelondrina.com.br/…/informe…

https://economia.ig.com.br/…/lojas…/n1597665526902.html

https://pt.wikipedia.org/wiki/Lojas_de_1,99

http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext…

Please follow and like us: