A Saga de Maria da Penha – a luta contra a violência doméstica no país

Penha ficou paraplégica após tomar um tiro do ex-companheiro em uma das terríveis sessões de torturas e agressões a que era submetida. Sua luta alterou para sempre a forma de combate à violência doméstica no Brasil.

Maria da Penha aos 20 anos

Maria da Penha Maia Fernandes é símbolo da luta contra a violência doméstica e de gênero.
Maria era casada com um homem violento, que a agredia constantemente. Ao longo de seu matrimônio, foi agredida por diversas vezes, além da violência verbal, chegou a tomar choques elétricos debaixo do chuveiro e levou um tiro que a deixou paraplégica. Em 1983, ela denunciou o marido à justiça, mas, não haviam leis específicas que tratavam da coibição e punição para violência doméstica contra a mulher.

Sem alternativas a não ser lutar, Maria batalhou durante 19 anos e levou seu caso e de outras mulheres aos holofotes da mídia. Penha também ajudou a organizar movimentos sociais formados por mulheres que sofreram violência doméstica, participou de palestras sobre resistência feminina, protagonizou pesquisas acadêmicas e levou o processo contra o marido à Comissão Interamericana dos Direitos Humanos da Organização dos Estados Americanos (OEA), que ameaçou impor sanções ao Estado brasileiro, caso não houvesse punição ao agressor.

Maria Penha e suas filhas do lado de fora de sua casa. A foto registra a primeira vez em que saiu após a separação do marido.
Marido agressor com as três filhas


Fruto da grande luta de Penha junto com outras mulheres, em 2006, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva sancionou a lei 11.340, conhecida popularmente como “Lei Maria da Penha”.
Hoje, Penha é coordenadora de estudos da Associação de Estudos, Pesquisas e Publicações da Associação de Parentes e Amigos de Vítimas de Violência (APAVV).

Maria da Penha Atualmente

Violência contra a mulher é crime. Não sofra mais, se proteja, ligue 180 e tire esse crápula de sua vida. Ou manda direct pra gente que encaminhamos a denúncia.

Please follow and like us: