A covardia do massacre de My Lai, o terrível genocídio protagonizado pelo exército norte-americano no Vietnã


Durante quatro horas, soldados e oficiais mataram cerca de 500 aldeões vietnamitas, a maioria mulheres, idosos e crianças

A ocorrência da Guerra do Vietnã, nos anos 60, teve participação direta dos Estados Unidos. Durante esse conflito, foi possível observar muito episódios de covardia, mas nenhum deles causou tanto estrago e repulsa aos olhos do mundo como o massacre à aldeia de My Lai.
Em 16 de março de 1968, um destacamento do exército, conhecido como companhia Charlie, chega à aldeia de My Lai. Um pobre vilarejo, acusado pela inteligência de guerra, de abrigar soldados comunistas. Ao chegarem na localidade, os norte-americanos se depararam com uma grande maioria de mulheres, crianças, velhos e doentes de guerra.

Mulheres e crianças momentos antes do fuzilamento – Reuters

Sob a liderança de William Calley, os soldados iniciaram uma tarde de terror. Estupraram mulheres, torturaram crianças, dispararam na cabeça das pessoas à sangue frio, tatuaram com baionetas o C ou a foice e o martelo, jogaram bebês na frente de suas mães no lago do vilarejo. Ao final daquele dia, cerca de 500 pessoas foram mortas. E nenhum tiro foi disparado por alguma arma vietnamita. Os disparos vieram somente de armas estadunidenses.

The Vietnam War' Why the My Lai Massacre Part Is Delayed in the Series |  IndieWire
O desespero de mulheres e crianças – AFP

No destacamento, apenas dois soldados não participaram do crime. Um rapaz que deu um tiro no próprio pé, para ser socorrido e não presenciar o genocídio e um piloto de helicóptero que não concordou com a ação e foi atrás de um outro pelotão para tentar que os oficiais bloqueassem a ação.

3. Impact on Vietnam War - My Lai Massacre
Soldados estadunidenses vendam uma mulher antes de matá-la
Massacre de My Lai – a barbárie americana na Guerra do Vietnã - Mundo Sem  Fim
Soldado norte-americano queima os instrumentos de trabalho dos arrozeiros do vilarejo


As 500 pessoas mortas receberam pedido de desculpas anos depois. Os criminosos foram absolvidos, com exceção de William Calley, o tenente que teria ordenado o ataque. Ele foi condenado à prisão perpétua, porém não passou um único dia preso. Teve a pena comutada para 10 anos em regime semiaberto e depois foi perdoado por Richard Nixon.

My Lai Massacre at 50: Inside the William Calley Trial | Time
Capa da Time lançada dias antes do Julgamento de William Calley


O evento é considerado, até hoje, um dos piores crimes em conflito, ocorridos após a Segunda Guerra Mundial.
A impunidade imperou e há, ainda hoje, quem defenda essa ação dizendo que o pobre vilarejo, lotado de mulheres, idosos e crianças oferecia alguma resistência ao poderoso e criminoso exército norte-americano.

Aventuras na História · Massacre de My Lai: O genocídio da Guerra do Vietnã
Fuzil na cabeça de uma moradora do vilarejo – Time

Referências

https://time.com/5202268/calley-trial-my-lai-massacre/

https://www.britannica.com/event/My-Lai-Massacre

https://www.pbs.org/wgbh/americanexperience/features/vietnam-my-lai-massacre/

https://www.dailymail.co.uk/news/article-2136559/Ruling-Britains-My-Lai-historic-killings-compared-Vietnam-massacre.html

My Lai: Vietnam, 1968, and the Descent Into Darkness , 2017, por Howard Jones
Please follow and like us: