Bacha Bazi – a cruel tradição afegã de tornar garotos de 10 anos escravos sexuais

O Afeganistão é um país muito diverso e passou por muitas mudanças ao longo de sua história. Nos últimos tempos, ouvimos falar bastante sobre esse território e os conflitos que ocorrem nele.
Com a cobertura internacional novamente em terras afegãs, o nome “Bacha Bazi” voltou a fazer parte dos noticiários. A prática milenar consiste em escravizar garotos de 10 a 18 anos de famílias pobres para que deem “prazer” para homens mais velhos. O hábito, que é um estupro e uma violência contra crianças, foi sendo diminuída ao longo do tempo. Porém, em famílias mais pobres, o Bazi ainda ocorre. Geralmente, comandantes de exército, policiais, políticos e homens ricos, se locomovem até regiões montanhosas pobres e levam, à força, ou através de um pagamento em ouro à família, garotos que completam 10 anos.

Dancing boy
Garoto Afegão vestido de mulher, inclusive usando moldes para aumento dos seios, no interior do país


Segundo a tradição afegã, baseada no próprio Alcorão, mulheres servem para educar crianças e servirem aos homens, enquanto o prazer é estimulado entre as próprias pessoas do sexo masculino.
Durante os anos 90, o governo Talibã proibiu o Bacha, mas a prática continuou acontecendo em áreas rurais do país, inclusive entre os próprios membros do grupo religioso, pois mesmo sendo proibida a conduta, não havia punição exemplar e nem campanhas para conscientização.

Pobreza, prestígio e medo mantêm a pedofilia no Afeganistão


Nos últimos tempos, de acordo com agências internacionais de notícias, os membros do Talibã ressuscitaram a prática fortemente. Além dos sucessivos estupros, os garotos também são fanatizados na religião e interpretação religiosa Sharia, que justifica ações contra os direitos humanos no país. Fato contraditório, pois a homossexualidade é punida com a pena capital em território afegão. Segundo documentário da BBC produzido sobre o país, a prática do Bacha Bazi não é considerada homossexualidade e sim uma ação “educacional”.


Conforme a ONU, todo ano, são identificadas pelo menos 3000 denúncias dessas práticas. Famílias que querem escapar desse destino tentam migrar para o norte, local que não é liderado e influenciado pelo regime Talibã. Lá, a prática já foi praticamente abolida, sendo realizada de forma escondida e clandestina, com grande punição aos praticantes.

Referências:
https://brasil.un.org/pt-br/140488-relatorio-detalha-violacoes-graves-contra-criancas-no-afeganistao
https://news.un.org/pt/story/2011/02/1366551-onu-e-afeganistao-combatem-abuso-sexual-de-menores
Report of the United Nations High Commissioner
for Human Rights on the situation of human rights in Afghanistan and on the achievements of technical assistance in the field of human rights in 2014
https://apnews.com/article/6b31f80cc0b048edb07c45a4f08f0f24
https://www.bbc.com/news/world-south-asia-11217772

Please follow and like us: