Quem foi Barrabás: o bandido que os cidadãos de bem soltaram, enquanto Jesus era levado à morte

Barrabás nasceu na cidade de Jopa, ao sul do Judeia, seu nome significa “filho do pai”. Ele foi um remador de botes e fazia parte de um partido judeu que lutava contra a dominação romana na época em que Jesus viveu.

Preso após um ataque a um grupo de soldados romanos, ele era conhecido como um criminoso responsável por assassinato e roubo. Segundo o evangelho de Marcos e de Lucas, sua prisão deveu-se ao fato de que estava envolvido em motins e tinha cometido um homicídio.

Barrabás esteve presente em um dos momentos mais marcantes da história de Cristo: o julgamento a partir do qual Jesus foi condenado à crucificação. Julgados por Pôncio Pilatos, Jesus de Nazaré e Barrabás foram acusados de terem traído Roma.

Conforme alguns textos bíblicos, o governador da Judeia não tinha motivos para condenar Jesus, mas não poderia simplesmente libertá-lo porque havia uma grande pressão em torno de sua condenação. Assim, ele seguiu uma tradição que permitia a libertação de um prisioneiro escolhido pelo povo em um dia de festa.

Diante de Jesus e Barrabás, a multidão escolheu a liberdade do segundo e exigiu que Jesus de Nazaré fosse crucificado. Pilatos mandou flagelar Jesus, imaginando que a cena comoveria os expectadores, porém não adiantou, os gritos pela crucificação continuaram. A visão da fragilidade de Jesus aumentou a ânsia do povo para que ele fosse condenado.

Barrabás ganhou a sua liberdade, enquanto Jesus foi crucificado.  Ao analisar esse episódio, historiadores afirmam que Barrabás não era visto como um bandido qualquer, ele era tratado como uma espécie de herói, alguém que era capaz de confrontar o domínio de Roma usando as mesmas armas que eles usavam contra o povo judeu, ou seja, ele buscava a vitória pela força e pela violência. Ele queria deixar de ser dominado para ser dominador, não questionava a estrutura de poder, apenas queria mudar a sua posição nela.

Por outro lado, Jesus questionava esse sistema de dominação, que separava as pessoas. Não venceria reproduzindo a violência, mas promovendo a transformação das pessoas e rompendo com essa estrutura de poder.  

Por que a multidão teria escolhido o bandido e condenado Jesus à morte? Porque Barrabás se mostrava mais forte ao usar as mesmas armas do opressor. Para aquelas pessoas, ele demonstrava ser a melhor escolha porque usava da violência para lutar contra o Império Romano. Elas procuravam um messias e, apesar de tudo o que Jesus já havia feito, ele não parecia ser esse salvador que os libertaria da opressão e lhes traria o poder.

Jesus pregava uma mudança social, buscava a transformação, o povo ensandecido, no entanto, queria a resolução imediata de seus problemas, por isso, Barrabás parecia atender de modo mais efetivo aos seus anseios. 

Referências:

BRAVO GALLARDO, Carlos, “Galiléia Ano 30: Para ler o evangelho de Marcos”, Estudos Bíblicos, São Paulo: Paulinas, 1996.

CUESTA, Ruthe Ventura. “Entre Jesus e Barrabás: realidade, expectativas e a escolha da multidão em Marcos 15,6-15”. Dissertação de Mestrado. São Bernardo do Campo: Universidade Metodista de São Paulo, 2009. Disponível em: http://tede.metodista.br/jspui/handle/tede/531

CROSSAN, John Dominic. “O Jesus histórico – A vida de um camponês do mediterrâneo”. Rio de Janeiro: Imago, 1994.

GARRAFFONI, Renata Senna. “Bandidos e Salteadores na Roma Antiga”. São Paulo: Annablume e Fapesp, 2003.

Please follow and like us: