O assassinato de Mércia Nakashima: mais um caso de feminicídio que chocou o Brasil

Mulheres mortas por seus companheiros ou ex-companheiros, uma cena que se repete com uma frequência inaceitável em nosso país.

No dia 23 de maio de 2010, a advogada Mércia Nakashima passou a compor essa longa lista. Ela tinha 28 anos e foi morta por seu ex-namorado Mizael Bispo de Souza, um advogado e policial militar reformado.

Ela tinha saído de Guarulhos, após um almoço em família na casa de sua avó. Depois disso, seus familiares não tiveram mais notícias de Mércia. A família começou a procurá-la e a divulgar fotos falando sobre seu desaparecimento.

Sem sucesso, dois dias depois, a polícia passou a investigar o caso e Mizael foi apontado como suspeito, já que a advogada havia recebido um telefonema do ex-namorado pouco antes de sair da casa da avó.

Mizael Bispo de Souza

Mizael foi chamado para prestar depoimento, mas negou qualquer envolvimento com o crime. Sua postura, entretanto, despertou suspeitas na polícia, pois estava nitidamente nervoso e saiu da delegacia com tanta pressa que até esqueceu seus documentos.  

Chamado para um novo depoimento, Mizael confirmou que tinha ligado para Mércia, mas alegou que não tinha conseguido falar com ela, disse também ter um álibi, pois, segundo ele, estava com uma prostituta no dia do desaparecimento da advogada.

No dia 10 de junho, após uma denúncia anônima, o carro de Mércia foi encontrado caído dentro de uma represa em Nazaré Paulista. No dia seguinte, bombeiros encontraram o corpo da advogada.

Carro de Mércia sendo retirado de uma represa em Nazaré Paulista

Conforme a perícia, Mércia morreu afogada no dia 23 de maio, após ter sido baleada e ter desmaiado.  

Alguns dias depois do corpo ser encontrado, um pescador procurou a delegacia e prestou um depoimento no qual disse ter visto um carro sendo abandonado na represa. Ele afirmou que ouviu gritos de uma mulher antes do carro submergir. Disse, ainda, ter visto um homem alto no local.

Outros depoimentos informaram que Mizael tinha sido visto com o vigia Evandro Bezerra da Silva. Evandro teria abandonado seu trabalho logo depois que o corpo de Mércia foi encontrado.

Márcio Nakashima, irmão de Mércia, no local onde o corpo da advogada foi encontrado.

Ao ser interrogado, após uma tentativa de fuga para o Sergipe, o vigia disse que esteve no local do crime para buscar Mizael.  

O ex-namorado de Mércia foi preso em 27 de julho de 2010, mas tanto ele quanto Evandro foram liberados após um habeas corpus. Os dois acusados fugiram, mas Evandro foi encontrado pela polícia e Mizael acabou se entregando.

Em 2013, Mizael Bispo de Souza foi condenado a 20 anos de prisão pelo assassinato de Mércia Nakashima. Conforme as investigações, ele teria atingido a ex-namorada com um tiro no queixo e empurrado seu carro até que ele afundasse completamente na represa.

O julgamento do caso durou quatro dias e foi o primeiro a ser transmitido ao vivo pela TV. Mizael Bispo foi condenado por homicídio triplamente qualificado. Tanto a defesa quanto a acusação recorreram da sentença e a pena de Mizael foi aumentada para 22 anos e 8 meses. Atualmente, ele cumpre pena no Presídio de Tremembé.

Enquanto isso, a família de Mércia lida com a imensa dor causada por sua morte. A jovem advogada compõe a longa lista de mulheres mortas por homens possessivos, que não aceitam que relacionamentos possam chegar ao fim ou que as suas companheiras não se comportem do modo como eles determinam.

Referências:

http://periodicos.uniso.br/ojs/index.php/triade/article/view/2368/2047

https://paulosampaio.blogosfera.uol.com.br/2018/02/05/irma-de-mercia-nakashima-diz-que-se-tornou-uma-pessoa-triste-para-sempre/

https://www.hojeemdia.com.br/primeiro-plano/brasil/mizael-%C3%A9-condenado-a-20-anos-de-pris%C3%A3o-pela-morte-de-m%C3%A9rcia-nakashima-1.118890

http://comunicacaoecultura.uniso.br/producao-discente/2015/pdf/antonio-santos.pdf

Please follow and like us: