PUBLICIDADE

Alaíde Costa: a injustiçada voz negra da Bossa Nova

A cantora esteve presente nas reuniões de formação do gênero musical, mas foi deixada de lado quando alguns membros do grupo alcançaram o sucesso

Alaíde Costa nasceu em 1935 no Méier, Rio de Janeiro. Filha de um forneiro de padaria e de uma dona de casa que lavava roupa para fora para complementar a renda da casa e criar seus seis filhos, desde cedo, ela era levada pelo irmão para cantar em programas de televisão.
Em 1959, gravou seu primeiro álbum, “Gosto de vocês”, pela gravadora RCA Victor. Mantendo amizade com importantes nomes da Bossa Nova como João Gilberto, Johnny Alf e Vinicius de Moraes, teve seu estilo muito influenciado por esses artistas.

Seu timbre marcante a tornou uma das mais importantes intérpretes da música brasileira, entretanto, o preconceito acabou servindo de barreira para que alcançasse o reconhecimento merecido.


Em 1955, ela se tornou conhecida após participar de um programa de calouros de Ary Barroso. Em 1958, foi descoberta por João Gilberto e passou a frequentar as reuniões que marcaram o desenvolvimento da Bossa Nova. Compondo junto com Tom Jobim e Vinicius de Moraes ela afirma, entretanto, que no momento em que o gênero musical estourou, foi deixada de lado, como se não tivesse feito parte do processo.

Ao falar sobre isso, Alaíde lembra que enfrentou muito preconceito, pois não havia negras cantando o gênero musical que ela escolheu, chegou a ouvir que deveria cantar samba, não Bossa Nova. Vítima de preconceito racial, ela era chamada de “ameixa” quando não estava presente e, ao falar sobre isso, lembra como o racismo era velado, mas estava ali marcando a sua vida. Alaíde diz que além dela, seu amigo Johnny Alf também não teve seu lugar merecido no mundo da música por ser negro e gay.

Alaíde Costa e Johnny Alf

Com 65 anos de carreira, lembrada por apresentações memoráveis, que levaram o público a aplaudi-la de pé no meio da música, Alaíde Costa esbanja talento e consciência da posição que ocupa, sabendo que rompeu barreiras no mundo da Bossa Nova, ainda que tenha sido excluída pelo grupo que ajudou a formar, teve papel fundamental na constituição desse gênero musical no Brasil.

Referências:

https://oglobo.globo.com/cultura/aos-85-anos-alaide-costa-prepara-disco-com-emicida-diz-ter-sofrido-racismo-da-turma-da-bossa-nova-24785900

https://oglobo.globo.com/cultura/quando-bossa-nova-estourou-fizeram-de-conta-que-eu-nao-existia-diz-cantora-alaide-costa-24785830

Please follow and like us:


PUBLICIDADE