A sinistra história de 9 garotos negros condenados à forca por pegarem um trem

Conheça a história dos nove garotos de Scottsboro, jovens negros que foram condenados à forca, sob a acusação de Estupro, no Estado do Alabama, em 1931.

O evento ganhou grande notoriedade na sociedade norte-americana e levantou o primeiro grande debate sobre o racismo judicial nos Estados Unidos.

Há no Netflix uma famosa série chamada “Olhos que Condenam”, uma produção baseada na triste história real de 5 garotos negros, moradores de Nova York, que foram acusados de estuprar uma corredora branca, dentro do Central Park. Mas o fato, apesar de muito assustador e triste, não é o primeiro a ocorrer no país.

Em março de 1931, várias pessoas viajavam em um trem de carga entre Chattanooga e Memphis, Tennessee, com escala em algumas pequenas cidades do Alabama. Quando o veículo adentrou o estado do Alabama, um grupo de rapazes brancos desceu do trem e relatou ao xerife da região que haviam sido atacados por um grupo de jovens negros. No período, o sul dos Estados Unidos era um dos lugares mais racistas e violentos do mundo. A imagem que os brancos tinham dos negros, e que persiste até hoje na mente de parte da população, era que os afro-americanos tinham uma tendência à selvageria. Após a denúncia, o xerife mandou a polícia cercar o trem e prender os jovens negros. No entanto, a perturbação da ordem não era suficiente para deter os jovens, e a polícia acabou encontrando duas mulheres brancas, que acusavam o grupo de estupro. Apesar dos agentes públicos não terem encontrado nenhum hematoma ou sinais de violação nos corpos das duas supostas vítimas (há uma fotografia das vítimas horas após o suposto estupro, deixamos nos comentários) 9 jovens negros foram levados para a prisão, eles tinham de 12 a 19 anos.

O advogado de defesa pegando depoimento

O caso foi ouvido pela primeira vez em Scottsboro, Alabama. A população da cidade, extremamente racista, se reuniu em frente à cadeia pública para linchar os acusados. Foram detidos pela coragem do xerife, que já havia se convencido que a história estava estranha, e no meio de mais de duas mil pessoas, sacou o rifle e disse que o primeiro que tentasse algo ele mataria. Ninguém teve coragem de avançar.

Rapidamente a promotoria e a justiça viram no caso uma oportunidade de mostrar o rigor do estado em punir negros (o que na época era apreciado no sul). Então foram organizados três julgamentos apressados, nos quais os réus receberam uma defesa insatisfatória ( o advogado de defesa mal sabia o nome de todos os réus). Todos os envolvidos, exceto um adolescente de doze anos de idade, Roy Wright, foram condenados por estupro e sentenciados à forca, o que era comum no Alabama para homens negros acusados de crimes sexuais.

Os garotos presos

A gravidade da sentença e proporção tomada pelo caso chamou a atenção de outros estados e a NAACP (Associação Nacional para o Progresso de Pessoas de Cor), junto ao partido Comunista dos Estados Unidos, uniram forças e conseguiram, provisoriamente, suspender o julgamento e levá-lo para a Suprema Corte. O tribunal superior analisou o processo e observou muitas irregularidades e resolveu anular todos os julgamentos e ordenou a devolução do caso para a primeira instância onde mais três julgamentos foram realizados. No primeiro deles, uma das vítimas assumiu que inventou toda a história apenas para que eles fossem retirados do trem. Mesmo com a confissão de uma das garotas e com um negro na composição do juri, 8 dos 9 negros foram novamente condenados. O Juiz, constrangido com a decisão explicitamente racista do juri, anulou a sentença.

As supostas vítimas duas horas após o suposto estupro

O caso dos Scottsboro Boys, como ficou conhecido, se estendeu na justiça por mais de 10 anos. Atualmente, historiadores entraram em consenso ao afirmar que na verdade os jovens foram acusados por terem pegado o trem. Geralmente os transportes restringiram o número de negros por viagem. Nove garotos juntos, em frente aos brancos, viajando no mesmo vagão demandou uma resposta dos racistas, que acusaram os garotos de um estupro que jamais ocorreu.

Por fim, em 1937, as acusações de quatro dos nove envolvidos foram retiradas. Aos demais, as sentenças variaram entre 75 anos e a pena de morte.

Mas o destino dos condenados já estava traçado por desgraças, um deles foi baleado na prisão por um guarda e morreu. Dois conseguiram escapar mas foram recapturados e acusados de outros crimes e mandados de volta para a prisão. O réu mais velho e o único condenado à morte, escapou da cadeia e viveu escondido até 1946, quando foi perdoado pelo governador do Estado. Que também se desculpou publicamente pelo erro judiciário, que comprovou a forte inclinação racista da justiça e sociedade norte-americana.

Os nomes dos acusados: Olen Montgomery (17 anos), Clarence Norris (19 anos), Haywood Patterson (18 anos), Ozie Powell (16 anos), Willie Roberson (16 anos), Charlie Weems (16 anos), Eugene Williams (13 anos), e os irmãos Andy (19 anos19) e Roy Wright (12 anos).

Os 9 garotos

Referências:

https://www.history.com/.amp/topics/great-depression/scottsboro-boys

Scottsboro Boys Trial and Defense Campaign (1931–1937)

http://encyclopediaofalabama.org/article/h-1456

https://www.cbsnews.com/news/scottsboro-boys-get-posthumous-pardon-in-1931-ala-rape-case/

Please follow and like us: