Uê, o traíra: a traição mais conhecida da história das favelas cariocas

Orlando Jogador foi, durante muito tempo, o traficante mais conhecido do Morro do Adeus, no Complexo do Alemão, Rio de Janeiro. Membro do Comando Vermelho, além de se tornar chefe do tráfico na comunidade, era conhecido e respeitado por famosos bandidos de outras favelas. Como principal controlador do crime da Zona Norte Carioca, o traficante garantia segurança e qualidade da cocaína, o que deixava os usuários muito à vontade para comprar os entorpecentes nas bocas do Adeus. Jogador controlava 100 homens armados, dos quais 20 faziam sua segurança pessoal. Muito influente no Rio de Janeiro, tinha como um de seus principais discípulos Ernaldo Pinto de Medeiros, conhecido como UÊ.

Uê se envolveu com o crime desde muito novo. Ousado e violento, em poucos anos, subiu na carreira do tráfico de drogas e virou comparsa e braço direito do chefe, até conseguir espaço para ter os próprios pontos de venda de drogas. A ambição e falta de escrúpulos de UÊ garantiram a rápida ascensão no mundo do crime, em poucos anos, quase igualou o poder de Jogador. Segundo apurado pela justiça, o traficante chegou a dominar o tráfico de drogas em pelos menos 5 favelas da cidade. Mas a verdadeira aspiração de UÊ era tomar conta do Morro do Adeus e do tráfico no Complexo do Alemão. Para concretizar o sinistro objetivo, traçou um plano para passar por cima do poderoso Chefe. O plano de Uê era usar todo o carinho e consideração que Orlando possuía por ele, para emboscá-lo.

Os homens de Uê disseram a Orlando Jogador que ele tinha sido sequestrado pelo Batalhão Operacional de Polícias Especiais (BOPE) e exigiam um resgate de cerca de 60 mil dólares. Na época, como Orlando tinha muitas fontes de amigos do crime, rapidamente arrecadou o dinheiro e se encontrou com os homens de Uê. Este estava com o dobro de homens de Orlando, todos fortemente armados. Quando ele entregou o dinheiro, os homens de Uê atiraram e mataram Orlando e seus comparsas.

O plano de UÊ colocou fim na vida de um dos últimos membros da Primeira Geração do Comando Vermelho, traficantes que possuíam um forte elo social com a comunidade e abriu espaço para a entrada de uma geração de traficantes bem mais violenta.

O assassinato de Jogador caiu como uma bomba nas comunidades e no poder paralelo do tráfico, era a morte de um importante chefe do Crime Organizado. O Comando Vermelho, organização da qual Jogador fazia parte, decretou a perseguição e morte de UÊ, uma guerra sem precedentes explodiu no Complexo do Alemão e Ernaldo virou o homem mais procurado do Rio de Janeiro. Com muito poder e dinheiro, UÊ entrou para a organização criminosa Terceiro Comando e se aliou à ADA (Amigo dos Amigos), rachando de vez, em três facções, o controle do tráfico de drogas na geografia criminal do Rio de Janeiro.

UÊ foi preso em 1996 e mandado para a cadeia de Bangu 1, onde foi morto carbonizado em uma famosa rebelião, segundo a justiça, supostamente organizada por Fernandinho Beira-Mar, em vingança pela morte de Orlando Jogador.

Obs: A foto colorida é o traficante UÊ.

Please follow and like us: