A origem do Comando Vermelho: entre presos políticos e comuns nasce uma das maiores facções criminosas do país

Fotografia impressionante mostra uma festa com membros da primeira formação da Facção Criminosa Comando Vermelho, dentro do presídio da Ilha Grande – Rio de Janeiro, em 1979.

Nos anos 60 e 70, o governo ditatorial brasileiro encarcerava presos políticos junto a presos comuns, sujeitos encarcerados por crimes comuns eram aprisionados no mesmo local que militantes políticos acusados de terrorismo. A ideia do sistema era que os presos políticos fossem absorvidos pelos comuns, desmantelando, dessa forma, a resistência ao governo.

Escadinha, um dos primeiros membros do CV

A principal cadeia a protagonizar o encontro desses dois tipos de presos foi o presídio de “Ilha Grande” , em Angra dos Reis – RJ.

Ao contrário do que pensaram os militares, esses homens trocaram experiências sobre formas de organização e sofisticação das ações criminosas. Os presos comuns aprenderam a fazer greve de fome, organizar-se em grupos maiores, a cautela e a necessidade de julgamento antes de matar outros presidiários, táticas de assaltos a bancos, repartição de comida e bebida, contribuição em dinheiro para eventuais necessidades, como pagamento de advogados e ajuda às famílias dos membros de suas quadrilhas e a manter a união contra o Estado. Muitos presos comuns tiveram contato com manuais de guerrilha urbana, obras filosóficas e sociológicas.

Parte externa atual do presídio de Ilha Grande (desativado).

Dentro do presídio, pós lei da anistia, que libertou presos políticos, os presidiários comuns, que continuaram presos, formaram duas organizações rivais, eram elas, a Falange Vermelha e a Falange Jacaré. A fotografia de Alcyr Cavalcanti mostra uma festa da Falange Vermelha após ação que matou muitos membros da organização rival.

Rogério Lemgruber. Fundador do CV

A Falange Vermelha mudou o nome para Comando Vermelho, seus líderes foram soltos, suas ideias e formas de organização tomaram conta de centenas de favelas cariocas. Hoje, o grupo domina grande parcela do tráfico de drogas no Rio de Janeiro.

Referências:
AMORIM, Carlos. “CV – PCC – A Irmandade do Crime” Rio de Janeiro: Record, 2003.
LIMA, William da Silva. “400 contra 1 – Uma História do Comando Vermelho”. São Paulo: Labortexto, 2017.
Link do livro: http://www.proibidao.org/wp-content/uploads/2011/12/William-da-Silva-Lima_-Quatrocentos_Contra_Um.pdf
Filmes: “Quase dois Irmãos”, “400 contra 1”, “Notícias de uma Guerra Cotidiana”.

Please follow and like us: