O caso Evandro: os detalhes de um crime cruel que chocou o Brasil

Inúmeros são os crimes bárbaros que chocaram o país e marcam o imaginário das pessoas que vivem nos locais onde eles ocorreram. Dentre esses crimes, o “Caso Evandro” apresenta uma enorme dose de brutalidade e diversas reviravoltas, que fazem com que até hoje pairem dúvidas acerca do que realmente aconteceu e de quem foram de fato os criminosos.

Em uma manhã do dia 6 de abril de 1992, o menino Evandro Ramos Caetano, de seis anos de idade, desapareceu a caminho de casa, na cidade de Guaratuba, no Paraná, gerando desespero em seus pais e uma imensa agitação entre os moradores, pois, dois meses antes, o garoto Leandro Bossi também havia desaparecido e nunca foi localizado.

No dia 11 de abril, o corpo de Evandro foi encontrado por pedreiros em um matagal próximo à casa do menino. Já em estado avançado de decomposição, ele estava sem os olhos, sem o couro cabeludo, com os dedos dos pés cortados, sem as mãos, com o ventre aberto e sem os órgãos internos.

Em julho do mesmo ano, o curandeiro Osvaldo Marcineiro, o artesão Davi dos Santos Soares e seu amigo Vicente de Paula confessaram o crime e disseram que a morte havia ocorrido em um ritual de magia encomendado por Celina Abagge, primeira-dama de Guaratuba, e por sua filha Beatriz Abagge. Segundo eles, o ritual teria acontecido na serraria da família Abagge e tinha o objetivo de trazer fortuna para a família e colocá-la em destaque no cenário político da cidade. Por supostamente envolver magia, o caso ficou conhecido no Paraná como “As bruxas de Guaratuba” e Beatriz e Celina passaram a ser tratadas realmente como bruxas por muitas pessoas da cidade.

Após diversas reviravoltas, ficou decidido que o julgamento dos acusados ocorreria de forma separada. Assim, em 1998, ocorreu o mais longo julgamento da história do Brasil e, após 34 dias, Celina e Beatriz foram absolvidas, sob a alegação de que as provas eram insuficientes e de que não havia comprovação de que o corpo era realmente de Evandro.

A acusação recorreu da decisão e novos julgamentos foram realizados, em 2003 e 2011. Celina e Beatriz chegaram a ficar presas na penitenciária feminina de Piraquara entre os anos de 1992 e 1995, mas foram novamente colocadas em liberdade.

Mãe e filha afirmam que são inocentes e que foram torturadas para confessaram o crime. O mesmo teria acontecido com os outros acusados, que apanharam tanto que se viram forçados a acusarem Celina e Beatriz.

Em matéria publicada na revista “Isto É”, em 2011, Beatriz mais uma vez reafirma a sua inocência e diz que foi estuprada, tomou choques elétricos e passou por sessões de “afogamento”, até que, sem forças para aguentar a tortura, implorou à sua mãe que dissesse tudo o que eles queriam ouvir. Segundo ela, é daí que surgiu a fita que consta nos autos do processo em que ela e a mãe confessam o crime.

No julgamento de 2011, Beatriz Abagge foi condenada a 21 anos de prisão, mas, cinco anos depois, recebeu o perdão da pena. Sua mãe não foi julgada novamente, pois na época estava com 72 anos e o crime já havia prescrito.
O fato é que até hoje ainda há muitas controvérsias em torno do Caso Evandro. A única certeza que se tem é a de que o garoto foi brutalmente assassinado. Além disso, o fato de que sua morte pode estar envolvida em um sacrifício praticado durante um ritual macabro torna o caso ainda mais chocante.

A fascinação que esses crimes bárbaros exercem nas pessoas fez com que os episódios do podcast “Projetos Humanos” que tratam desse caso se tornassem um verdadeiro fenômeno, alcançando mais de 4 milhões de downloads e impulsionando a produção de um livro e de uma série de TV a respeito do crime. Fruto de uma extensa pesquisa de seu criador Ivan Mizanzuk, o podcast reacende a discussão sobre a brutalidade do assassinato do menino Evandro e sobre as muitas dúvidas que pairam acerca do que realmente aconteceu.

Referências :

https://aventurasnahistoria.uol.com.br/noticias/reportagem/historia-caso-evandro-crime-brutal-de-magia-negra.phtml
https://g1.globo.com/pr/parana/noticia/2019/06/15/podcast-que-conta-a-historia-do-caso-evandro-bate-4-milhoes-de-downloads-e-vai-virar-serie.ghtml
https://www.projetohumanos.com.br/temporada/o-caso-evandro/
https://istoe.com.br/133790_AS+BRUXAS+DE+GUARATUBA/
http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-93132017000200371
SANTOS FILHO, Diógenes Caetano. “A verdadeira história do caso Evandro”. São Paulo: Editora Naós, 2010.

Please follow and like us: