PUBLICIDADE

O inferno na terra: como foram os terríveis últimos anos do Czarismo na Rússia

O que faltava na estante | VEJA
Estátua do Czar derrubada

Czar era o nome dado ao monarca russo. O homem que sentava no trono, comandava um país enorme, com muitas fronteiras e um Império que congregava uma centena de nações.

No final do século XIX, o Império Russo era comandado por Nicolau II. No período, a Rússia era um país bastante atrasado no que se refere às forças produtivas. O Czar, na sanha de transformar o país em uma grande potência capitalista, resolveu transformar uma Rússia feudal, ainda com fortíssimos traços da servidão, em um país capitalista.

Ucrânia em África: A história proibida da grande fome russa: a preciosa  ajuda americana
Até o final do Século XIX boa parte da Rússia ainda mantinha traços da servidão feudal

A picture taken during the Volga famine 1891. : pics
Mulheres vendem restos humanos de seus filhos e demais familiares. A imagem foi captada em 1891, durante a grande fome da Rússia

Para realizar o intento, o monarca irá transformar a vida dos russos e agregados do Império em um inferno na terra.

Primeiro, o Czar, compulsoriamente, obrigou hordas de trabalhadores a construírem a faraônica obra ferroviária Transiberiana, uma estrada de ferro que corta, atualmente, 10 mil quilômetros de território asiático e europeu.

Com a construção da ferrovia e pesados empréstimos internacionais, as regiões urbanas foram se desenvolvendo e fábricas foram sendo montadas ao longo de todo o território.

Why Russia built the Trans-Siberian Railway - Russia Beyond
Construção da Estrada Transiberiana – Durante as obras morria-se de tudo, mas a Tifo, o frio, a falta de comida e condições básicas de existência mataram a quantidade de homens equivalentes à uma Guerra

No período, a Rússia era um contraste social visto a olhos nus. Enquanto nas ruas se empilhava lixo, esgoto a céu aberto e a população vivia sem qualquer assistência social, a nobreza e os donos de terra detinham 95% de toda a riqueza do Império. Era a nobreza também que comandava as grandes fábricas, as fazendas, a cobrança de impostos e tocava a máquina pública. Fazendo com que o filho de um nobre tivesse acesso a 5 refeições por dia, enquanto, nos rincões do país, camponeses morriam de fome e chegavam a adotar o canibalismo para sobreviver.

O crepúsculo dos Romanov: o último grande baile da Rússia imperial! |  Rainhas Trágicas
A Nobreza Russa muito bem alimentada enquanto o povo morria de fome
Vestimenta dos Nobres

Russia: Forest bones confirmed to be last tsar of Russia and the Romanov  family | News | DW | 18.07.2020
Família do Czar Nicolau II

No início do século XX, o Czar envolveu o Império em uma guerra contra a pujante nação japonesa, por conta de territórios próximos da China. O Japão, que passava por uma industrialização pesada (Era Meiji) e modernização de seu exército, deu uma surra homérica nos russos. Enquanto o armamento e táticas de guerra dos japoneses eram de última geração, os russos ainda usavam cavalos, baoinetas, espadas e embarcações pesadas, muitas delas à vela.

Tsushima! - The Battle That Sank Imperial Russia's Navy -  MilitaryHistoryNow.com
Batalha de Tisushima – Vencida pelos Japoneses que massacraram os Russos e mostraram como o Exército do Czar estava atrasado
Exército de Cossacos indo para a Guerra portando espadas, arma considerada atrasada em 1905

CIC, em Florianópolis, exibe filme 'O encouraçado Potemkin' com trilha  sonora ao vivo | Santa Catarina | G1
Revolta de Marinheiros em cena gravada para o filme Encouraçado de Potemkin

O resultado foi um massacre. Quase 500 mil russos mortos. O Czar, desesperado, passou a desviar dinheiro e comida das cidades para as tropas no front. Hordas de trabalhadores passaram a ter jornadas de 16 e até 18 horas ao dia para poderem pagar os pesados impostos decorrentes do prejuízo causado pelo conflito. Nos navios da Marinha e dentro das tropas do exército, a fome era constante. Faltavam fardas, armamento e comida.

Workers' organizations in the Russian Revolution | International Socialist  Review
Trabalhadores tinham jornadas exaustivas e condições de trabalho terríveis

Nas fazendas, as plantações eram confiscadas. Em famílias grandes, os camponeses tinham que decidir quem de seus parentes iria morrer primeiro para que seu corpo fosse consumido pelos outros membros.

Nas grandes cidades, a guarda real, formada por Cossacos, oprimia quem reclamasse da situação. O índice de mortalidade infantil disparou em números jamais vistos antes.

The Making of Lenin: The Beginning of Bolshevik Revolution
Repressão aos trabalhadores feita pelos Cossacos

Desafetos do Czar eram mandados para fora do país ou para campos de serviços forçados.

Não bastasse a desastrosa governança de Nicolau, sua esposa ainda levou para dentro do Palácio um guru, cujo nome era Rasputin e que queimaria ainda mais a reputação dos Romanov, nome da família real.

Aventuras na História · Rasputin, o bruxo que criou um reinado paralelo na  Rússia
Rasputin - A história do monge que deu início ao fim do czarismo russo
O Guru Rasputin junto aos membros da nobreza, a maioria delas mulheres. Rasputin foi levado ao Palácio do Czar após promessa de curar o filho do monarca que sofria de hemofilia. Cartazes e charges foram espalhados pelo Império Russo para difamar da esposa de Nicolau II

Nicolau II também passou a oprimir e a desrespeitar a nacionalidade do Império Russo, passando por cima de suas tradições, feriados, santos e deuses. Tudo com o respaldo da Igreja Católica Ortodoxa, que o Czar tentava usar como forma de coerção às revoltas que se sucediam naquela ambiente terrível.

How to fight Counter-Revolution – Lenin 1917 – Marxist Student Federation
Principal líder da Revolução, Lênin discursa, Trotsky, outro líder importante está ao lado

Foi nessa situação, permeada por essas crises, que as ideias marxistas passam a circular no território Imperial e partidos de trabalhadores são formados. Entre seus líderes, estão Lenin e Stalin, personagens que mais tarde irão dirigir e dar rumo à revolução que fará o Czar e toda a sua família a serem executados por todo o mal que fizeram ao povo russo. Com a entrada da Rússia na Primeira Guerra Mundial, aumento da crise o caminho para um processo revolucionário ficava cada vez mais fértil e o resto é história.

Referência

MARABINI, Jean. “A Rússia durante a Revolução de Outubro”. São Paulo: Companhia das Letras, 1989.

https://seer.ufs.br/index.php/tempo/article/download/3894/3259

REIS FILHO, Daniel Aarão. “As revoluções russas e o socialismo soviético”. São Paulo: UNESP, 2003

CASTRO LEAL, Ernesto. “A Revolução Russa de Outubro de 1917 e os primórdios do regime comunista: aspectos da recepção pública e da dinâmica política em Portugal (1917-1926)”.

Please follow and like us:


PUBLICIDADE