PUBLICIDADE

A bizarra morte do rei que popularizou da expressão “macacos me mordam”

Alexandre da Grécia foi rei durante um curto período de três anos. Filho de Constantino I, o monarca serviu no exército grego, foi herói de guerra, mas faleceu de uma forma bizarra.

Em sua casa de campo, em 1920, Alexandre tomou seu desjejum e saiu para passear como fazia todas as manhãs.

No caminho para o jardim, o monarca viu uma cena inusitada. O seu cachorro estava brigando com dois macacos. Os animais pertenciam ao caseiro que vivia no local e tinham sido trazidos da Turquia.

O cão latia, era arranhado pelos primatas e tentava mordê-los. Ao ver que o cachorro perdia a batalha para os macacos, Alexandre resolveu intervir e separar os animais. Foi quando um dos macacos deu duas mordidas no rei, uma em sua perna e outra em seu braço. 

A forte lesão feita pelos dentes do primata causou uma grande infecção e matou o rei. A bizarra morte do monarca fez com que a história chegasse aos ouvidos de toda a população grega. Do mais simples camponês ao mais rico nobre, todos comentavam o estranho fato que tinha tirado a vida do monarca.

Como Alexandre fez parte da Marinha e tinha feito a promessa de modernizar a frota, há quem diga que a expressão “macacos me mordam”, muito famosa na voz do marinheiro Popeye, tenha surgido dessa morte inusitada do monarca grego.

A bizarrice do caso não parou por aí. Depois da perda de seu filho, o pai de Alexandre declarou guerra à Turquia, alegando que os turcos treinavam macacos terroristas.

Referências:

https://www.britannica.com/biography/Alexander-king-of-Greece

https://www.britannica.com/biography/Alexander-king-of-Greece

https://www.blogs.unicamp.br/hypercubic/2010/01/

Please follow and like us:


PUBLICIDADE