As crianças torturadas pela Ditadura Militar

Há ainda no Brasil quem negue que o período que abrange 1964 a 1985 tenha sido uma Ditadura cruel. Alguns revisionistas passam pano para o período, como se, na época, só houvesse ocorrido a tortura de pessoas que ofereciam algum risco ao Estado brasileiro. No entanto, mesmo que essas pessoas oferecessem algum risco para o país, tortura é algo abominável em qualquer situação.

Ficha das crianças

Nos anos 2000, foram publicadas fotos tiradas do arquivo do DOPS, pela Comissão da Verdade “Rubens Paiva”. As imagens mostram o cadastro de crianças que sofreram torturas psicológicas e físicas na época da ditadura militar.
Muitas delas acompanharam a tortura dos pais ou foram separadas de suas mães logo após o nascimento.
A Comissão da Verdade do Estado de São Paulo lançou o livro “Infância Roubada”, que possui relatos e histórias sobre crianças que tiveram a vida traumatizada, de forma cruel, pelo Estado brasileiro. Pequenos que foram torturados nos porões da repressão e nunca mais se recuperaram dos traumas psicológicos.

Filhos de militantes

Alguns relatos são tensos e cheios de maldade.

“Falavam comigo assim: A gente já ta cansado de trabalhar adulto, tudo igual. Mas a gente nunca trabalhou uma criança de quatro meses, você e sua filha servirão para o avanço da ciência. Você ta pensando que a gente vai matar ela? Não vai não. A gente vai colocar ela numa banheirinha cheia de gelo e você vai marcar o tempo que ela demora pra virar um picolé. Vamos bota-la no pau de arara, dar choque elétrico e quebrar todos os ossinhos dela”.
Gilse Cosenza – Estudante presa no DOPS, mãe de uma criança recém nascida.

Gilse com os filhos – foto/Comissão da Verdade MG


“Me levaram diversas vezes às sessões de tortura para ver meu pai preso no pau de arara. Para o fazerem falar, simulavam me torturar, com uma corda, na sala ao lado, separados apenas por um biombo”.


Ernestinho, de 2 anos – Classificado como menor subversivo, era filho de militantes políticos.

Ernestinho, o preso político mais jovem da história

Referências:
Fotos: Arquivo do Serviço Nacional de Informações (SNI)
https://oglobo.globo.com/cultura/livros/livro-reune-historias-de-criancas-presas-torturadas-ou-exiladas-durante-ditadura-no-brasil-14496104

BRASIL. Direito à Memória e à Verdade: histórias de meninas e meninos marcadas pela ditadura. Brasília: Secretária Especial de Direitos Humanos, 2009.

NAPOLITANO, Marcos. Recordar é vencer: as dinâmicas e vicissitudes da construção da memória sobre o regime militar brasileiro. In: Antíteses. Londrina/PR, v. 8, n. 15esp., p. 09-44, nov. 2015.

Reportagem Contos da Resistência. TV Câmara. 2014.
Acesso Gratuito ao livro:
http://www.al.sp.gov.br/…/bibliotecaDigit…/20800_arquivo.pdf

Please follow and like us: