Caixa de Ratos: A assustadora tortura, inventada na idade Média, e praticada nos porões da ditadura brasileira

Os seres humanos passaram parte de sua história desenvolvendo métodos para machucar uns aos outros. A tortura, até o Século XIX, era vista como um mecanismo, usado pelo Estado, para apenar os infringentes das leis.

A maioria das pessoas arrepia quando toma ciência de como essas práticas eram realizadas. Na história da humanidade podemos listar inúmeras torturas, mas, essa que vamos abordar hoje, talvez seja uma das mais chocantes e desumanas:

A prática, nascida na idade média, consistia em colocar ratos dentro de uma gaiola, sobre a barriga ou nádegas do torturado. A mini prisão possuía duas saídas, a superior, que era forrada por brasa fervente, e a inferior, que tinha como obstáculo o estômago ou ânus da pessoa. Uma vez acesa a brasa, o rato, que simbolicamente é ligado a práticas asquerosas e anti-higiênicas, se valia dos seus instintos(roer ,cavar e infiltrar-se) para poder escapar com vida daquela situação. Ou seja, torturava-se o rato, expondo-o a uma situação de vida ou morte, para que o roedor torturasse o ser humano. A cena era horrível, os pequenos mamíferos entravam pelo estômago ou intestino, dilacerando os órgãos da pessoa até conseguirem transpassar o corpo.

Durante as Ditaduras do Brasil e Chile o método foi usado com algumas variações. Em vez de gaiola, usavam canos de alumínio para enfiar os ratos dentro, após fechar o cano, os torturadores esquentavam o objeto com um maçarico, muito mais potente que as brasas usadas no Século XV, com essa nova e tenebrosa variação muitos ratos morriam antes de adentrar o corpo humanos, mas eram substituídos rapidamente. Em uma mesma sessão chegavam a usar mais de 5 roedores pra torturar a mesma vítima.

Referências:

Revista Galileu, Canal Ciências Criminais, O Globo, Mega Curioso

Please follow and like us: