A Macarena da Morte: o que foi a Praga de São Vito, a dança que matou milhares pessoas na Europa

A histeria coletiva ou contágio psicológico é um fenômeno encontrado em diferentes sociedades ao longo dos anos que constroem a nossa história como humanidade.

Durante o período conhecido pelos historiadores como Idade Média, uma espécie de histeria coletiva passou a ocorrer em vários lugares da Europa. Entre os séculos XV e XVII, documentos apontam que, em diferentes localidades, pessoas começavam a dançar e atravessavam dias assim, até morrerem de infarto ou chegarem à total exaustão.

Como a ciência da época não havia ainda criado o termo histeria ou contágio psicológico, não constituindo, dessa forma, elementos de explicação racional do fato, os acontecimentos foram considerados maldições.

A suposta maldição ganhou o nome de Praga de São Vito, pois o santo é considerado protetor dos dançarinos e epiléticos. E também porque uma das mais famosas histerias ocorreu no dia reservado para celebrar os milagres desse santo.

A primeira vez que essa praga foi identificada data do ano de 1020. Mas ela ficou mais intensa durante o século XVI na Europa.
O mais famoso episódio data do ano de 1520 em Estrasburgo, uma pequena vila no interior da França. Nesse episódio, meio milhar de pessoas foram contaminadas pela praga de São Vito.

Alguns historiadores chegaram a escrever que a praga era fruto da contaminação do centeio e trigo por um fungo conhecido como “ferrugem”, porém, a teoria foi abandonada quando foi comprovado que o fungo causa alucinações, mas não tem o poder para desencadear tal fenômeno.

Referências:

A Time to Dance, a Time to Die: The Extraordinary Story of the Dancing Plague of 1518 – John Waller

https://super.abril.com.br/mundo-estranho/o-que-foi-a-praga-de-sao-vito/amp/

https://viola.bz/saint-vitus-dance-unsolved-mystery/

Please follow and like us: