A história do “Pagode Romântico” dos nos 90

O pagode romântico ou pagode paulista é um estilo musical, uma espécie de divisão do samba, originado no início dos anos 90, na cidade de São Paulo e redondezas.

O gênero tornou-se sucesso, transformou-se em uma máquina de venda de discos e shows e alterou para sempre a história das rádios e da indústria musical brasileira.

Raça Negra
Formado no início dos anos 80, na Vila Nhocuné,
Zona Leste de São Paulo, o grupo faz parte dos clássicos do pagode nacional,
foi pioneiro na inclusão do romantismo dentro do ritmo
e foi imortalizado através de suas músicas, abrindo as portas do sucesso para outras bandas.

São Paulo, início dos anos 90, a economia, castigada pela crise da década perdida (anos 80), dava alguns sinais de recuperação, a sociedade entrava em ebulição com a redemocratização e com a possibilidade de uma nova era, regida pela batuta de um novo presidente, agora, eleito. Nas periferias do grande centro urbano paulistano, jovens, geralmente de baixa renda, frequentavam quintais e lajes nas grandes favelas da Cidade.

Os Travessos, grupo musical que fez muito sucesso na segunda metade dos anos 90.
Rodriguinho, o vocalista, era o sonho de consumo das meninas.

As reuniões, regadas à cerveja Kaiser e à boa e velha caipirinha, passam a adotar a cultura das rodas de pagode, tradicionais no Rio de Janeiro, muito famosas nos anos 80. Em meio a churrascos patrocinados por donos de bar, os músicos, que na época tinham menos de 20 anos, inserem nessas rodas o cavaco e o charme paulistano do xaveco, conquista e dores de cotovelos típicos da adolescência paulistana e brasileira. Foi dentro desse contexto, que aflorou o Pagode Romântico Paulista dos anos 90.

SPC, grupo de pagode originário de Minas Gerais, é recordista de venda de CD’s.

Os ritmos musicais, tanto o rap, quanto o funk ou pagode, se mostraram como importantíssimas atividades lúdicas para garantir o lazer da população mais pobre dos grandes centros urbanos. O Rap e o Funk, denunciando a situação de abandono social, e o pagode romântico, explicitando sentimentos de uma geração inteira de pessoas.

Grupo de pagode “Os Morenos”

A explosão dos grupos de pagode romântico, logo no início dos anos 90, contagiou tanto a população jovem que, em poucos meses, suas músicas tomaram mais de 50% do horário de reprodução das rádios paulistas, tirando espaço de trilhas internacionais, que tinham o preço de reprodução bem mais caro que as canções de pagode que surgiam a todo momento. Os grupos, como Só Para Contrariar(MG), Raça Negra e Art Popular, eram receptivos aos convites das comunicadoras e seus shows, a princípio, eram também bem mais acessíveis financeiramente para contratação.

Grupo Art Popular, em um dos seus melhores discos: “Temporal”.

Em poucos anos de história, os grupos de pagode já lotavam ginásios por toda a cidade, região sudeste e, posteriormente, todo o país. O estilo adotado consistia no uso de roupas chamativas, com várias cores, um vocalista carismático e muita, muita declaração de amor e dor de cotovelo traduzidas em letras cantadas em belas melodias.

Banda Soweto

A ascensão do pagode romântico se deu na mesma época em que o país começava a comercializar CD’s (Compact Disc). O gênero musical virou uma fábrica de vender discos. O grupo Só Pra Contrariar, por exemplo, chegou a vender 3,6 milhões de cópias de um único disco. Mas a banda mais famosa dessa época, cujas músicas forneceram base ao movimento, é conhecida como Raça Negra. O álbum mais conhecido do grupo foi lançado em 1995, a faixa chefe do projeto ostenta o título “É Tarde Demais”, canção que entrou para o Guinness Book (livro dos recordes) como a mais tocada em apenas um dia, ela foi reproduzida em território nacional nada mais nada menos do que 600 vezes em 24 horas.

Capa de um dos CD’s do Grupo Kiloucura

Além das bandas já citadas, também foram enorme sucesso os grupos: Exaltasamba, Katinguelê, Malícia, Soweto, Grupo Raça, Karametade, Travessos, Kiloucura, Molejo, Negritude Jr, Os Morenos, Pixote, Bala BomBom e Chocolate.

Karametade, uma das bandas mais cobiçadas pelo público feminino. Seu vocalista chamava Vavá e tinha um irmão gêmeo.

Na primeira década dos anos 2000, com o mercado já saturado, com muitos grupos e fórmula de sucesso cada vez mais batida, donos de grandes gravadoras e assessorias de shows passaram a incentivar a saída de vocalistas dos grandes grupos, prometendo-lhes uma carreira solo de sucesso.

Grupo de pagode “Molejo” ou “Molejão”
Grupo conhecido pelas letras irreverentes

De 2000 a 2010, as principais bandas de pagode romântico perderam seus cantores principais, ficando órfãs do carisma desses grandes artistas. Na maioria das vezes, o sucesso, tanto do grupo como do cantor solo, não se sustentou e o pagode romântico foi gradualmente sendo substituído nas rádios pelo ritmo Sertanejo Universitário.

Integrantes do grupo de pagode Exaltasamba, no começo de carreira.
Créditos – Página Pagode anos 90

Mesmo com a queda de sucesso, o ritmo marcou a história e influenciou gerações. Atualmente, em churrascos, karaokês e páginas do Facebook, uma onda de nostalgia toma conta da mente das pessoas toda vez que toca uma clássica daquela época. Com certeza, neste momento, várias músicas já passaram pela sua mente. Nós colocaremos o pedaço da nossa predileta, só pra matar a saudade.

Exaltasamba no estilo mafioso. No começo de carreira.

Na areia nosso amor

No rádio o nosso som

Tem magia nossa cor

Nossa cor marrom

Marrom bombom, marrom bombom

Nossa cor marrom

Marrom bombom, marrom bombom

Nossa cor marrom

Marrom bombom, marrom bombom

Nossa cor marrom

Grupo – Os Morenos

Referências

https://pt.wikipedia.org/wiki/Pagode_(estilo_musical)

https://pt.wikipedia.org/wiki/Pagode_rom%C3%A2ntico

https://musicadobrasil.blogs.sapo.pt/1905.html

https://uolmusica.blogosfera.uol.com.br/…/o-que-mudou…/

http://on.ig.com.br/…/15-pagodes-que-toda-crianca-dos…

http://multishow.globo.com/…/materias/pagode-anos-90.htm

Please follow and like us: