A história do Jardim Itatinga: o primeiro bairro planejado para prostituição no Brasil


A localidade é fruto de uma política conservadora de separação entre “mulheres da vida” e “mulheres de “família”

Uma prostituta aborda um possível cliente na avenida principal do Jardim Itatinga, maior zona de baixo meretrício da América Latina, 1998

O bairro Jardim Itatinga, situado na região sudoeste de Campinas, é considerado uma das maiores áreas de prostituição da América Latina e o único bairro planejado para a prostituição no país. Localizado em uma área periférica, envolvida pelas rodovias Santos Dummont e Bandeirantes, e próximo do Aeroporto Internacional de Viracopos, a região abrigava antes uma antiga fazenda de café chamada Pedra Branca, Itatinga em tupi-guarani.

O bairro foi criado em 1966, em plena ditadura militar, com a finalidade de isolar as profissionais do sexo dos moradores das outras áreas de Campinas, sobretudo da região central e do Jardim Taquaral, área nobre da cidade atualmente. A decisão de confinar a prostituição em uma área afastada do município foi baseada nos conceitos morais e numa divisão entre os papéis de mulheres que não poderiam se misturar, principalmente com o grande crescimento urbano da década 1960, devido à industrialização.

A partir de 1966, com o apoio da opinião pública, começou a chamada “Operação Limpeza”, quando as prostitutas que trabalhavam de forma independente nas ruas da cidade foram perseguidas e foram feitos acordos para que as casas de prostituição mudassem para o novo terreno.

O surgimento da bairro Jardim Itatinga ampliou a divisão territorial que existe em Campinas nos aspectos socioeconômicos, uma vez que a região norte é onde estão os terrenos mais valorizados, os condomínios e shoppings, e na região sul, mais próxima do bairro, concentra-se a maioria das ocupações informais, favelas e loteamentos populares.

Referências:

HELENE, Diana . “A invenção do Jardim Itatinga: o zoneamento urbano da Prostituição”. In: 28ª RBA Reunião Brasileira de Antropologia:, 2012, São Paulo. Desafios Antropológicos Contemporâneos. São Paulo, 2012. v. GT01., 2012.

http://www.revistaaledbr.ufscar.br/index.php/revistaaledbr/article/viewFile/175/170

TAVERES, Aline. “A organização da Zona: notas etnográficas sobre relações de poder na zona de prostituição do Jardim Itatinga. Dissertação de Mestrado. Campinas: UNICAMP, 2014. http://www.repositorio.unicamp.br/bitstream/REPOSIP/279567/1/Tavares_Aline_M.pdf

Please follow and like us: