PUBLICIDADE

Mentira sem Punição: O General que redigiu a maior mentira da história política do país, e por falta de punição, ficou livre para dar um 2º golpe na democracia.

Esse senhor da foto é o General Olímpio Mourão Filho.

Homem de confiança na época do governo Vargas e sempre envolvido nos meandros da vida política nacional.

Mourão foi responsável por redigir o documento falso chamado de “Plano Cohen”, uma fraude documental que dizia que os Soviéticos tinham um plano para invadir o Brasil e, através da luta armada, impor a ditadura comunista em terras tupiniquins. O falso documento foi veiculado em todos os jornais brasileiros em 1937, causando pânico, histeria e abrindo de vez o caminho para que Getúlio Vargas impusesse, com mãos de ferro, uma ditadura que duraria 9 anos.

Olímpio nunca foi punido pela informação plantada na mente da população. Integralista de formação, foi filiado ao partido de Plínio Salgado e odiava qualquer coisa que viesse da esquerda. No inicio dos anos 60, ele teve um papel determinante no golpe de estado que afetou o Brasil em 1964.

Na manhã do dia 31 de março de 1964 ele telefonou para todo o Brasil, dizendo: “Minhas tropas estão na rua!” Na noite do mesmo dia ordenou que soldados da 4ª Divisão de Infantaria que comandava em Juiz de Fora seguissem para ocupar o estado da Guanabara, atual cidade do Rio de Janeiro. As forças do general foram reforçadas por dois outros regimentos vindos de Belo Horizonte e São João del-Rei. Em uma ação chamada de Operação Popeye, O General consolidou o golpe e mergulhou o Brasil em 21 anos de Ditadura Militar.

Mourão morreu rico, e nunca foi punido por qualquer crime que tenha cometido. Nos anos que se sucederam após o golpe ele foi presenteado com o cargo de presidente do Supremo Tribunal Militar.

Please follow and like us:


PUBLICIDADE