A história do verdadeiro Pantera Negra

Huey Newton foi um dos líderes negros mais importantes e sua trajetória influenciou os autores do famoso quadrinho

Newton em uma sala do Partido dos Panteras Negras. A imagem famosa influenciou o pôster do Filme “Pantera Negra” da Marvel

Huey Percy Newton, nasceu em Oakland, Califórnia, em 1942. Desde muito novo, observava a truculência da polícia no tratamento com afro-americanos. Durante a adolescência, sofreu violência policial várias vezes. Ao completar a maioridade, se aproximou das ideias de Malcolm X e iniciou militância no movimento negro, onde conheceu e desenvolveu amizade com Bob Seale. Os amigos, munidos do mesmo sentimento de indignação frente ao racismo, formaram o famoso Partido dos Panteras Negras.

A princípio, a ideia de Huey e Seale era conscientizar os negros americanos sobre seus direitos. Newton conhecia o código penal e a constituição americana como ninguém. Munido de conhecimento legal, passou a organizar reuniões em diversos bairros e cidades da Califórnia, nesses encontros, lecionou curso para afro-americanos, o qual, mais tarde, contribuiria para a formação de patrulhas negras que vigiavam o trabalho policial, evitando o abuso de autoridade e as práticas racistas tão comuns na época.

Huey faz o símbolo dos direitos humanos, que ficou famoso como gesto dos Panteras Negras

Nomeado como Ministro da Defesa do Partido dos Panteras Negras, Huey fez uma revolução no sistema de autodefesa contra o racismo, iniciando um programa de conscientização e incentivo ao uso de armas pelos afro-americanos como direito à resistência. No início dos anos 70, parcela significativa da população negra americana se armou e enfrentou legalmente toda forma de abuso policial e institucional. À frente dos Panteras Negras, Newton formou-se PHD em filosofia pela Universidade da Califórnia e foi o principal responsável pela implantação do primeiro curso de História Afro-americana em uma universidade estadunidense. Outros feitos importantíssimos realizados pelo “Pantera Negra” foi a implantação de práticas de assistência social.

Newton discursa em uma convenção dos Panteras Negras

O Partido dos Black Panthers passou, com a liderança de Huey, a distribuir café da manhã para crianças negras carentes, compras básicas como leite, ovos e frutas para famílias afro-americanas pobres, que ocupavam os guetos de toda a Califórnia. Junto com Bob Seale e a cúpula do partido, Newton abriu escolas informais para alfabetização de crianças, adolescentes e adultos. Em meio ao processo de ensino, os alunos também recebiam ensinamentos sobre a história africana e a estética negra, fatores imprescindíveis para o reforço e formação do orgulho negro, que mais tarde desencadearia o movimento Black Power.

Pôster de “O Pantera Negra”, filme da Marvel


O jeito aguerrido e feroz com o qual Newton desafiava o sistema político americano trouxe muitas consequências, uma delas foi a inimizade mortal com o FBI. A instituição tentou de todas as formas acabar com o partido dos Panteras Negras e seus líderes (fatos comprovados por documentos oficiais), o próprio Huey foi indiciado pela justiça duas vezes. A primeira por um tiroteio com as forças policiais, no qual um dos policiais foi morto. A segunda detenção ocorreu por uma acusação de estupro, da qual ele foi inocentado pela própria vítima e pela inexistência de provas.

Perseguido por duas décadas pela política e sistema policial americano, Newton precisou se exilar e fugir da Califórnia por várias vezes, mas sempre se manteve líder do Partido dos Panteras Negras e sua vida virou símbolo de luta e resistência negra contra o racismo institucional americano. Ao longo dos anos 80 e 90, foi lembrado em músicas por rappers famosos como Tupac Shakur e Notorious BIG e entrou para a cultura pop norte-americana como figura emblemática da história do país.

Huey Armado


Em 22 de agosto de 1989, Huey Newton foi assassinado a tiros em Oakland, Califórnia. As investigações, inconclusivas, apontavam como assassino um traficante de 25 anos, que, segundo investigações, não recebera o que devia de Newton. A versão policial, contestada pelo movimento negro e pela justiça americana, nunca chegou a ser concluída como verdadeira. O fato é que Newton foi morto, mas saiu da vida para entrar na história. Seus feitos são lembrados até hoje e o punho fechado levantado, símbolo dos direitos humanos que Huey ajudou a popularizar entre a população negra, ainda causa arrepio entre racistas de todo o mundo.

Referências

https://www.archives.gov/research/african-americans/individuals/huey-newton

https://www.britannica.com/biography/Huey-P-Newton

https://www.biography.com/.amp/activist/huey-p-newton

Please follow and like us: